O ministro Aloizio Mercadante apresentou o documento nesta segunda (30).
Guia traz detalhes sobre a correção e dá exemplo de redações nota 1.000.

O Ministério da Educação divulgou, na tarde desta segunda-feira (30), o manual “A redação no Enem 2012 – Guia do Participante”, um documento destinado aos mais de 5,7 milhões de estudantes que se inscreveram para a edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 50 páginas, o manual esclarece com detalhes as novas regras de correção da prova de redação do exame, que acontece nos dias 3 e 4 de novembro.

Segundo presidente do Inep, Luiz Claudio Costa, o objetivo do material é detalhar os critérios utilizados na correção e tornar o processo mais transparente. Em 2011, mais de 120 estudantes entraram na Justiça para pedir vistas da prova, por não concordarem com o resultado. Até o fim de janeiro, em 79 casos a Justiça exigiu uma nova correção da redação, e apenas dois casos resultaram em alteração de nota.

“No guia está definido o que se espera de cada uma das competências da redação com exemplos. Queremos dar mais objetividade à correção de um texto que é subjetivo”, disse o ministro Aloizio Mercadante nesta segunda, em entrevista coletiva, em Brasília.

A nota final da redação do Enem –que vai de 0 a 1.000– é calculada pela média aritmética das duas notas atribuídas à prova por dois avaliadores independentes. Cada um deles avaliará cinco competências, que permanecem iguais às das edições passadas do exame (veja tabela abaixo). O candidato pode somar no máximo 200 pontos em cada competência.

VEJA AS COMPETÊNCIAS DA REDAÇÃO DO ENEM
Competência I: Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita
Competência II: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
Competência III: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.
Competência IV: Demonstrar conhecimento dos mecanismos lingüísticos necessários para a construção da argumentação.
Competência V: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.
Fonte: Inep

A principal mudança instituída pelo MEC neste ano se refere à discrepância entre estas duas notas e vale tanto para a nota final quanto para a nota de qualquer uma das competências. Pelo manual, uma discrepância acontece quando as notas finais dos avaliadores diferirem entre si em mais de 200 pontos –no ano passado, essa divergência era de 300 pontos–, ou quando as notas por competência diferirem em mais de 80 pontos.

Para solucionar a divergência, um terceiro avaliador será convocado para corrigir a redação, e sua nota será considerada final. Esse procedimento também já era praticado nas edições anteriores. Porém, se esta terceira pontuação continuar discrepante em relação às demais, uma banca composta por três examinadores atribuirá a nota final.

Páginas do manual "A redação no Enem 2012 - Guia do Participante", divulgado pelo MEC nesta segunda-feira (30) (Foto: Reprodução)Páginas do manual “A redação no Enem 2012 – Guia do Participante”, divulgado nesta segunda-feira (30) (Foto: Reprodução)

Competências explicadas
O manual explica ainda quais são os critérios que orientam os avaliadores na hora de pontuar cada competência. São seis os níveis de pontuação: zero, 40, 80, 120, 160 e 200. Cada um se refere à variação do domínio apresentado pelo candidato.

Por exemplo, na competência 1 (demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita), recebe nota zero quem demonstrar “desconhecimento total da norma padrão”. O candidato que mostrar “domínio insuficiente da norma padrão, apresentando graves e frequentes desvios gramaticais e de convenções da escrita”, receberá 40 pontos. Quem tiver “domínio mediano da norma padrão, apresentando grande quantidade de desvios gramaticais e de convenções da escrita graves ou gravíssimos” somará 80 pontos.

Caso o avaliador julgar que o estudante tem “domínio adequado da norma padrão, apresentando alguns desvios gramaticais graves e de convenções da escrita”, a nota atribuída será de 120 pontos na competência 1. Já quem demonstrar “bom domínio da norma padrão, apresentando poucos desvios gramaticais leves” receberá 160 pontos, e quem não apresentar, ou apresentar pouquíssimos desvios gramaticais leves e de convenções da escrita, receberá a pontuação máxima, 200.

Exemplos de redações nota 1.000
O Ministério da Educação selecionou ainda seis exemplos de redações que tiveram nota 1.000 no Enem 2011. Os textos foram acompanhados de uma explicação geral sobre o tema, que no ano passado foi “Viver em rede no século XXI: os limites entre o público e o privado”, e de comentários gerais a respeito da construção dos textos de candidatos do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e de São Paulo.

Para executar o novo sistema, o MEC anunciou o aumento de 40% no quadro de avaliadores, de 3.000 para 4.200 a partir deste ano. O ministro Aloizio Mercadante também afirmou, em maio, que o ministério firmou um termo de ajustamento de conduta com a Justiça no final do ano passado, no qual ficou definido que os estudantes teriam acesso à correção da prova de redação mediante um pedido.

Fonte: G1.globo.comhttp://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2012/07/veja-o-manual-do-mec-sobre-correcao-da-redacao-do-enem-2012.html

Por: Eniac

Publicado em: 30 de julho de 2012

Categorias: Sem categoria.