Stephanie Kohn

Enquanto o mercado discute os conceitos de TI Verde, os primeiros computadores sustentáveis começam a ser produzidos. Tratam-se de máquinas produzidas com materiais reciclados e recicláveis.

Lucas Castro, de 18 anos, por exemplo, desenvolveu um computador totalmente de madeira, com processador dual-core, 4GB de memória RAM, 1,5 TB de disco rígido e placa de vídeo de 512 MB. A escolha do revestimento em madeira, segundo Castro, deve-se ao fato de ser um material fácil de usar, reciclável e que confere originalidade ao equipamento.

Apesar da ideia ter potencial para vendas, Lucas confessa que não pensa em comercializar o projeto. “O problema de comercializar um computador como esse é que ele tem tantos detalhes que acabaria encarecendo demais”, explica.

Na mesma linha, o empresário André Ruschel desenvolveu o ThinEco, um computador revestido de papelão usado, que utiliza processador Atom N270, 2 GB de memória RAM e HD SSD da Intel. Dentro do gabinete todos os componentes têm o selo “green” e o produto foi desenhado para consumir menos energia. “Esta é uma tentativa de tornar o computador cada vez mais sustentável”, destaca Ruschel.

Se comparado ao computador de madeira, o ThinEco, por ser feito basicamente de papelão, tem um custo baixo e, por isso, deve se tornar um produto comercializável em breve. “Ainda estamos negociando com alguns distribuidores e o valor deve ficar na faixa de R$ 750,00, dependendo da configuração”, adianta o idealizador do projeto.

A máquina, que pesa cerca de 1,2 quilo, foi criada para mostrar que é possível produzir um computador barato, utilizando conceitos verdes.

fonte: Olhar Digital – http://olhardigital.uol.com.br/produtos/ti_verde/noticias/ti_verde_mercado_investe_em_computadores_sustentaveis

Por: Eniac

Publicado em: 31 de janeiro de 2011

Categorias: Sem categoria.