São Paulo – Na ansiedade para conquistar o emprego dos sonhos, há quem tente apostar todas as suas fichas no currículo. Nada errado com isso, claro. O problema é exagerar e listar informações desnecessárias.

Por isso, EXAME.com elencou quais são os dados que você, definitivamente, não precisa incluir no seu currículo.

1 –  Fotos – Se você não é candidato a uma vaga de modelo (ou outra posição que dependa da sua aparência física), fotos e poses suas tornam-se completamente desnecessárias. E pior: se a foto estiver em alta resolução (e tornar a mensagem de e-mail pesada) você até pode ganhar um ponto negativo aos olhos do recrutador.

Quando fotos constam na lista de exigências do processo de seleção, seja cuidadoso. Nada de enviar imagens que ofusquem suas qualidades profissionais. Prefira fotos que denotem seriedade.

2 – Documentos – Há alguns anos, currículo bom era aquele que listava, em minúcias, todos os dados pessoais possíveis. Estado civil, quantidade de filhos, RG, CPF e, às vezes, até hobbies. Tudo. Tudo ia parar no documento. Para os desavisados: essa regra, definitivamente, acabou. No máximo, cite qual seu estado civil. O foco no currículo são suas qualificações, não quem você é depois do expediente. Deixe isso para a entrevista.

3 – Lista de referências – As referências profissionais anteriores também caíram no ostracismo do processo de recrutamento atual. O currículo tem o papel de introduzir o candidato ao recrutador. Nas fases seguintes do processo de seleção, ele, por si só, irá checar se você é tão bom quanto afirma no currículo e entrevista.

4 –  Pretensão salarial – Pode ser um tiro no pé colocar em letras garrafais o quanto você quer receber em termos monetários. Essa prática pode diminuir as chances de negociação futura e, pior, pode colocar você fora do processo.

Novamente, o objetivo do currículo é mostrar quais são suas qualificações, não o seu valor de mercado. Se a pretensão salarial constar nos requisitos do processo, a dica de Eliane Dutra, da Projeto RH, é listar seu salário atual. E nada mais.

5 – Cursos do século passado – Há quem adicione cursos extracurriculares feitos há mais de uma década no currículo. Não caia nesse erro. De preferências apenas para as atividades mais recentes – exceto cursos de graduação e pós-graduação.

Fonte:Info.abrilhttp://info.abril.com.br/noticias/carreira/o-que-voce-nao-deve-incluir-no-curriculo-19092011-16.shl

Por: Eniac

Publicado em: 19 de setembro de 2011

Categorias: Sem categoria.