O Ministério da Educação (MEC) quer ampliar a oferta de ensino técnico concomitante, modalidade em que o aluno cursa o ensino regular em um turno e a formação profissional em outro. Um grupo de trabalho formado por membros das secretarias estaduais de educação, do Sistema S e dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia discutirá a articulação entre as instituições que ofertarão o ensino profissional e médio. Os estudantes dessa modalidade de ensino serão beneficiários da Bolsa-Formação, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego (Pronatec).

Além dos estudantes, serão prioritários no programa os trabalhadores beneficiários do seguro-desemprego e dos programas de transferência de renda do governo federal. Também serão atendidos jovens em conflito com a lei, quilombolas e ribeirinhos.

A diretora de integração das redes de educação profissional e tecnológica, Patrícia Barcelos, destaca a abrangência do Pronatec. “O Pronatec é um programa nacional que sistematiza e integra todas as ações da educação profissional. Ele tem a função de potencializar a capacidade instalada dos sistemas de ensino técnico”, explica.

Mercado
Segundo o MEC, entre 1995 e 2005, o Brasil gerou 17,5 milhões de vagas em empregos formais, mas somente 1,8 milhão foram preenchidas por pessoas com até 24 anos. Um dos objetivos da atual política de educação profissional é qualificar os jovens para ocupar os postos de trabalho que necessitam de mão de obra especializada.

Em 2010, as matrículas no ensino técnico ultrapassaram a marca de 1 milhão, de acordo com o censo da educação básica. Em torno de 19% dessas matrículas pertencem à modalidade concomitante e o restante está distribuído entre o técnico subsequente (62%) e o técnico integrado (18,9%).

Fonte:Noticias.terra.com.br –   http://noticias.terra.com.br/educacao/noticias/0,,OI5466927-EI8266,00-MEC+quer+ampliar+articulacao+entre+ensino+regular+e+profissionalizante.html

Por: Eniac

Publicado em: 14 de novembro de 2011

Categorias: Sem categoria.