Número de inscritos no país era de 1 milhão há menos de um ano.
Rede social para profissionais tem 175 milhões de usuários no mundo.

Osvaldo Barbosa de Oliveira é diretor-geral do
Linkedin no Brasil (Foto: Amanda Demetrio/G1)

O Linkedin, rede social americana para profissionais, informou nesta terça-feira (16) que chegou a 10 milhões de usuários no Brasil – em todo o mundo, já são 175 milhões. Osvaldo Barbosa de Oliveira, diretor-geral do Linkedin Brasil, fez o anúncio e disse que agora o Brasil se iguala ao Reino Unido como terceiro país com a maior audiência da rede social.

Oliveira, que coordena o escritório local do site, conta que o número de usuários era de 1 milhão há menos de um ano, quando o Linkedin desembarcou oficialmente no Brasil.

Estando no Linkedin, os brasileiros veem o maior valor do site no fato de permitir a manutenção de uma identidade profissional, revela o diretor, citando uma pesquisa realizada pela empresa. “O segundo maior motivo é usar a rede para compartilhar informações e se informar sobre dados que podem ser importantes para o trabalho da pessoa”, explica. “Entre todos os motivos, a procura por emprego está em oitavo lugar.”

No país, diz ele, as três principais regiões mais ativas no Linkedin são São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Já as empresas com mais profissionais são Petrobras, Banco do Brasil e Itaú Unibanco. Entre as universidades, USP, Unip e FGV têm mais representantes no site, afirma o executivo.

Estudos realizados pela rede social também revelam que as competências mais divulgadas pelos brasileiros são aquelas relacionadas a softwares da Microsoft (como Microsoft Office e, mais especificamente, o Power Point), ao marketing, à capacidade de falar inglês e à confiança que sentem em fazer negociações.

Uma análise do Linkedin brasileiro também mostrou que existem quase 1.600 profissionais que usam a expressão “DJ” para descrever seu emprego. Outros 900 profissionais têm títulos que envolvem futebol. “Aqui no Brasil, quem se chama Roberto também têm mais chance de ser um CEO, pela comparação que foi feita”, explica Barbosa.

O diretor-geral explica que, desde que desembarcou no país, o Linkedin tem ouvido mais o brasileiro. “Temos um serviço ao consumidor em português e traduzimos o site”, conta.

Com a presença no Brasil, a rede social também passou a cuidar dos clientes locais, um papel que antes era feito por um parceiro local. “Temos mais de 150 clientes corporativos no Brasil usando a ferramenta para serem mais eficientes na atração de talento”, conta Barbosa.

Sobre a receita local do site, Barbosa acredita que a divisão de arrecadação seguirá a tendência mundial, que vem do pagamento por receitas de recrutamento, marketing e assinaturas pagas.

Fonte: G1.globo.comhttp://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/10/linkedin-anuncia-10-milhoes-de-usuarios-no-brasil.html

Por: Eniac

Publicado em: 16 de outubro de 2012

Categorias: Sem categoria.