As redes domésticas, ao contrário do que muitos usuários pensam, não são totalmente seguras. É o que garante um estudo da empresa Alcatel-Lucent, que apresentou dados que comprovam que as ameaças às redes estão aumentando assim como a demanda por este tipo de serviço.

Image

Kindisght Security Labs, subsidiária de cibersegurança da Alcatel, apurou que houve um aumento no número de malware usado por hackers para acessarem dispositivos com o intuito de espionar corporações e roubar dados pessoais.

As formas de ataque são as mais variadas: spam, negação de serviços e transações fraudulentas.

“As ameaças de malware e contra a cibersegurança continuam sendo um problema crescente para as redes domésticas e dispositivos móveis, principalmente para tablets e smartphones Android que são um alvo cada vez maior”, relatou Kevin McNamee, Diretor e Arquiteto de segurança da Kindsight Security Labs da Alcatel-Lucent.

De acordo com o último relatório trimestral da empresas obre o assunto, 10% das redes domésticas e mais de 0,5% dos dispositivos móveis do planeta foram infectados. E para os especialistas isso acontece não só pelo aumento de ameaças como também por um certo desleixo dos internautas.

“Os usuários geralmente não tomam as devidas precauções de segurança para seus dispositivos móveis e, mesmo quando tomam, um aplicativo mal-intencionado pode facilmente escapar da detecção dos antivírus de dispositivos”, completou McNamee.

Entre os principais dados do relatório estão o fato de que 6% das redes domésticas apresentaram ameaças de alto nível, com o botnet ZeroAccess sendo o mais comum. Nas redes móveis, o Android é o mais afetado, seguido dos notebooks Windows. Na plataforma móvel do Google, em três meses, o número de amostras de malware no Android aumentou seis vezes.

 

Fonte: TechTudo

Por: Thiago Barros

Por: Eniac

Publicado em: 1 de agosto de 2013

Categorias: Sem categoria.