Você vive sonhando em como seria bom ter um cantinho todo seu, silêncio e toda liberdade do mundo para ir e vir? O pensamento “quero morar sozinho” não sai da sua cabeça, mas, ao mesmo tempo, você não tem ideia de como fazer algo assim? Calma, pois com planejamento você consegue organizar a vida e se tornar independente.

Para que te ajudar a organizar essa etapa de transição tão significativa, nós organizamos este post para que você consiga se organizar e fazer isso com tranquilidade.

Quero morar sozinho, e agora?

Um belo dia você acordou com uma ideia fixa: “quero morar sozinho”. Encasquetou com essa possibilidade. Mentalmente, colocou uma muda de roupas e um pacotinho de bolacha numa mochila, como quando você fazia quando levava aquela bronca da mãe aos cinco anos e saiu pela rua para ir embora da casa dos seus pais.

Só que no meio do caminho, com a mochila nas costas, percebeu que não sabia muito bem aonde estava indo e muito menos o motivo. Administrar a própria vida e o próprio canto é uma aventura muito maior que uma tentativa de fuga infantil, a primeira coisa que você deve considerar quando sentir que está na hora de mudar para o seu lar é o porquê.

A verdadeira razão que te faz querer zarpar de casa deve ser coerente e trazer mais benefícios que complicações para tua vida. Sendo assim, tenha ótimos motivos e um plano sólido antes de fazer as malas. Entre os bons motivos para deixar o conforto do lar:

  1. Uma oportunidade única numa cidade distante: se você passou no vestibular para o curso dos seus sonhos numa outra cidade/estado ou recebeu uma proposta de trabalho incrível.
  2.  Você quer/pode se tornar mais independente: a sua vida financeira é estável, você tem reservas, quer mais responsabilidade, privacidade e finalmente sair da casa dos pais. Beleza, sinal verde para o “quero morar sozinho”!
  3. Você vai amadurecer como pessoa, afinal morar sozinho vai te trazer uma série de novos aprendizados. E, entre os mais importantes, certamente estarão o que você vai aprender sobre você mesmo.

Planeje-se bem

Montar e tomar conta de uma casa não é uma tarefa tão simples quanto parece. Se o adolescente rebelde dentro de você não te deixa em paz, pede para ele dar um tempinho e respirar fundo: viver sozinho exige planejamento desde o começo.

Partindo da escolha de onde você vai morar até quais itens são necessários para que sua casa não seja apenas minimamente habitável, mas também um lugar onde você se sinta bem confortável para relaxar, passar o tempo, receber seus pais e amigos. Pensando nisso, dê uma conferida nessa checklist do lar dos sonhos:

  1. Quanto tempo você levaria para juntar uma grana para dar uma entrada na sua primeira casa ou para poupar uma reserva de emergência antes de ir morar sozinho?
  2. Pense se a área que você vai morar tem serviços como supermercado, farmácia, transporte público por perto.
  3. Que utensílios, móveis e eletrodomésticos são indispensáveis? Isso vai vir junto com sua nova casinha? Seus pais, avós ou tios possuem alguma coisa que pode te servir e de quebra te salvar uma graninha nesse começo de vida independente?

quero-morar-sozinho

Calcule e tenha uma reserva

Muitas vezes apenas o querer sair de casa não é suficiente. Ou pode até ser, mas nem sempre é a decisão mais acertada financeiramente. Por isso, antes que você diga “quero sair de casa”, talvez você deva se questionar “posso sair de casa?”

Calcule todas as contas que virão com o novo lar e mantenha os gastos organizados numa planilha ou caderninho. Os custos de morar sozinho podem ser muitos:

  • Aluguel ou prestação da casa (mais juros, caso você tenha optado por algum tipo de
    financiamento);
  • Condomínio;
  • Energia elétrica;
  • Gás;
  • Água;
  • Internet;
  • IPTU;
  • Manutenção.

Além de saber se o que você ganha é suficiente para bancar tudo isso, a prudência ainda recomenda que você tenha uma reserva para o caso de emergências. Idealmente, o que especialistas em finanças pessoais recomendam é ter uma poupança de segurança para o caso de você precisar viver até seis meses sem trabalhar.

Outra dica de economia doméstica é: invista em coisas que tornem sua casinha um lugar agradável de estar e que te façam ficar em casa vez ou outra ao invés de estar sempre se coçando para passear por aí.

Tenha livros legais, assinatura de streaming, um videogame. Enfim, invista uma graninha em coisas que te permitam passar tempo de forma divertida na sua própria casa.

Caso você ainda não sabe, seria interessante aprender a cozinhar. Afinal, não tem como viver de delivery, misto-quente e macarrão instantâneo. E, comer fora sempre ou pedir comida pelo aplicativo todo dia (ou algumas vezes na semana que sejam), fica caro.

Então, não importa o quão Master Chef você é ou não! Mãos à obra e faça uma pesquisa na internet, que está cheia de receitinhas práticas, saudáveis e que sujam só uma panela. É preciso ser visionário nessas horas, afinal, quem vai ter que limpar tudo depois é você!

Se correr o bicho pega…

…se ficar, o bicho come! O chuveiro vai queimar no inverno, a máquina de lavar roupa vai inundar a casa, um monte de coisa vai dar errado. E, geralmente, quando uma encrenca vem, ela não vem sozinha – vai dizer que nunca ouviu a mãe dizer que quando quebram duas coisas em casa, pode esperar que vai vir a terceira?

Pois é. Quando se mora sozinho, é sua responsabilidade lidar com esse tipo de imprevisto. Não tem mãe para resolver todos esses problemas por você. Coisas que talvez a tua mãe ainda não tenha contado quando você soltou o “quero morar sozinho”: a pilha de louça na pia ou a privada vão se lavar sozinhas.

Além de pagar todas as contas da casa, você vai ter que arranjar tempo para fazer supermercado, cozinhar, lavar a roupa, limpar a casa etc. Ou seja: ter uma casa é sinônimo de ter que separar tempo para cuidar dela e mantê-la em condições habitáveis.

No entanto, todo esse trabalho deve compensar. Afinal, você vai ter um lugar sossegado para relaxar e fazer as coisas no próprio tempo. E, ainda vai poder receber amigos e família com todo o carinho. Então, aproveite!

Agora que você já sabe como sair do “quero morar sozinho” para um passo a passo de como fazer isso acontecer, coloque ele em prática!