Educação Inovadora e valorização da "profissão professor" é a receita finlandesa para um mundo melhor

A Finlândia é um país de vanguarda, com educação e técnicas de aprendizagem modernas. Um país que encoraja as pessoas para aprender coisas novas.

No âmbito do Ensino Superior, o que predomina é a Educação Profissionalizante. Para se ter ideia, existem 24 universidades focadas em ciência aplicada e apenas 14 em educação acadêmica. Os formados saem para o mundo do trabalho muito bem preparados ou aptos para empreender. Na PROAKATEMIA, escola de empreendedorismo e liderança, por exemplo, 40% dos estudantes, assim que se formam, abrem seus próprios negócios. Nesta, além do protagonismo do estudante, destaca-se o professor no papel de "coaching".

Ensino Fundamental, por sua vez, traz modelo impactante. Diretor e grupo de professores "tocam" a escola de Ensino Fundamental, num modelo de gestão co-participativa que funciona. Não há inspetores, coordenadores e nem provas. Isto está quase igual ao modelo da Universidade 42, no Vale do Silício, onde recentemente esteve o Prof. Fernando Domingues.

Um único professor ensina todas as disciplinas. Também é ele quem mantém a comunicação com os pais e a responsabilidade pelo cumprimento do currículo. Não é sem sentido, pois, que neste país a profissão professor é muito valorizada, bem remunerada e competitiva. Mas para atuar no Ensino Fundamental o professor deve ter, no mínimo, Mestrado, sendo o desejável até Doutorado. 

Tudo isto é fruto de forte investimento em qualificação docente, do ensino fundamental ao superior; com empoderamento baseado em autonomia e apoio; aprendizagem flexível, personalizada e baseada em equipes; além de cooperação administrativa público e privada. São estes os pressupostos do modelo educacional da Finlândia que se posiciona dentre os dez melhores do mundo.

Para finalizar, toda esta educação é "free", com 99,5% de inclusão e o trabalho pedagógico em cima dos conteúdos deixam de lado o "o quê" e focam no "como". Há ainda, uma pitada de diversão, brincadeira e competição nas estratégias pedagógicas para estimular os estudantes.

Ficou interessado em saber se existe Programa de Internacionalização Docente? Sim, há um programa que possui três estágios:

  • 3 a 5 meses na Finlândia;
  • 5 meses a distância com monitoramento online e, no final
  • Apresentação dos resultados em seminário.

Centro Universitário Eniac, rumo à Internacionalização.

 

Por: Simone Vianna

Publicado em: 24 de abril de 2017

Categorias: Aprendizagem Ativa, Inovação, Institucional
Tags: , , .