Mais uma missão internacional! O destino agora é Portugal [...] e o que será que Portugal tem?

No dia 05 de outubro de 2018, embarquei com um seleto grupo de professores brasileiros rumo à Portugal, todos nós, participantes do 7º Seminário Internacional de Inovação Acadêmica no Ensino Superior, organizado pela Expertise Educação.

Numa comitiva composta por 19 educadores - de oito diferentes instituições de ensino -, dentre eles, professores, coordenadores, diretores, gestores e reitores, nossos objetivos eram conhecer sobre o modelo de ensino superior português, seus modus de gestão, o trabalho acadêmico por projetos (PBL) e suas propostas de internacionalização.

Iniciamos nossa jornada no dia 08 de outubro, com uma visita ao Parlamento Português. Para essa, fomos recebidos e conduzidos por Deputados do Parlamento. Caminhamos pelos jardins e salões do Parlamento e conhecemos detalhes importantes da história de Portugal.

Sobre o sistema educativo português, a Deputada Margarida Mano nos explicou que, de 2011 a 2015, Portugal passou por um período de crise, de recessão econômica e que o Tratado de Bolonha foi uma questão importante para o processo de recuperação desse sistema. A partir dele, ocorreu uma série de reformas acadêmicas, além de importantes investimentos em Ciência e Tecnologia que colaboraram para o reposicionamento desse pequeno país Europeu que é Portugal.

Os investimentos dos quais fez referência a deputada foram facilmente percebidos durante nossa visita à Técnico Lisboa, atualmente, a maior Escola de Arquitetura, Engenharia, Ciência e Tecnologia em Portugal. A Técnico Lisboa é uma escola coligada à Universidade de Lisboa e é referência em ciência e tecnologia, com ensino e investigação internacionalmente competitivos.

Na Técnico Lisboa visitamos dois de seus laboratórios: o Laboratório de Biomecânica de Lisboa (LBL) e o Laboratório de Robótica Móvel (ISR). Durante visita ao ISR, o presidente Professor José Santos-Victor informou que o laboratório conta com uma verba governamental de 6 a 7.000 Euros/ano para projetos de investigação científica. Explicou, ainda, que isso representa 90% dos valores investidos e que os 10% restantes são investimentos advindos do setor privado.

Chama minha atenção a forte integração da engenharia e da robótica com a área da saúde. Os aparatos robóticos desenvolvidos (ou em desenvolvimento) buscam resolver problemas da humanidade. Trata-se de robótica para o bem social e de uma escola para o mundo. Aliás, o mote “School for the worldestá impresso no cartão de visita do Instituto Técnico Lisboa.

Confira algumas fotos e o vídeo com o gracioso robô Vizzy, um robô que monitora programas de exercícios e reabilitação física em idosos, pessoas com obesidade, deficiência motora e outros.

  1. Seminário Internacional Portugal - Técnico Lisboa


Por: Simone Vianna

Publicado em: 8 de outubro de 2018

Categorias: Aprendizagem Ativa, Inovação, Institucional
Tags: , , .