Seja atraído pela capacidade de transformar seu conhecimento em atitudes mensuráveis.

A competência é parâmetro fiel para se medir o grau de compreensão que as ações humanas devem ter ao situar o valor do conhecimento, da habilidade e da atitude em função das necessidades que as pessoas devem responder, via de regra, quando se é analisado por qualquer ação competente.

Verifica-se que é indispensável dispor ao mesmo tempo de conhecimentos e dominar procedimentos, visto ser impossível responder a qualquer problema da vida sem utilizar estratégias e habilidades sobre componentes factuais e conceituais dirigidos, inevitavelmente, por pautas ou princípios de ação de caráter atitudinal.

O conceito de Competências é amplo e se difundiu no ensino de maneira muito acelerada, trocando em miúdos, encontrou no mundo educacional, terreno fértil para o desenvolvimento das capacidades do ser humano.

A missão de todo bom selecionador (a) no processo seletivo é medir justamente as capacidades que o candidato tem de transformar seu conhecimento em atitudes através de seu talento utilizando, entre outros: testes de raciocínio lógico, conhecimento gerais, entrevistas, dinâmicas em grupo e cases específicos que coloquem o candidato a prova do que possivelmente irá enfrentar no dia a dia da função pleiteada. Desta maneira, a forma de considerar ou avaliar as atuações das pessoas se centrará em um contínuo entre a atuação menos competente e a mais competente.

E a sua missão, qual é?

"Desenvolver ou potencializar suas capacidades para ser atraído pelo mercado de trabalho ou para o empreendimento do seu negócio."

Mas por onde devo começar?

Esta é uma lição técnica e comportamental que se aprende na escola, esta é função social do ensino, formar em todas as capacidades do ser humano, com a finalidade de poder responder aos problemas que a vida apresenta. Ou seja, você poderá desenvolver em conjunto com a sua escola ou instituição de ensino capacidades imprescindíveis para o seu desenvolvimento pessoal, interpessoal, social e profissional. Pois ser competente, sobretudo é, ao agir, mobilizar de forma integrada conhecimentos e atitudes mediante uma situação problema, de forma que a situação seja resolvida com eficácia, tanto tecnicamente quanto de maneira comportamental.

Mas, quais são as competências que as empresas mais valorizam?

De fato, cada empresa possui sua cultura organizacional e em cima disto constrói o perfil profissional ideal que podem mudar de acordo com suas necessidades e as mudanças do mercado, conheça bem a empresa no qual você está se candidatando. Mas, existe segundo a IBC (Instituto Brasileiro de Coaching) competências técnicas e comportamentais profissionais que são valorizadas pelo mercado, independente da área de atuação, que são essenciais para o sucesso na sua carreira: liderança, automotivação, trabalho em equipe, criatividade, comunicação efetiva, capacidade de negociação, adaptabilidade, busca por conhecimentos, bom humor e relacionamento interpessoal.

Posso potencializar e desenvolver as minhas competências em outros ambientes?

Atualmente estão em alta espaços de criatividade, aprendizado e inovação gratuitos que também contribuem para o desenvolvimento e potencialização das suas competências, entre eles o “Fablab”. Este espaço é destinado para que pessoas de diversas áreas se reúnam para realizar projetos de forma colaborativa compartilhando seus conhecimentos e experiências em busca da criação de produtos ou projetos inovadores.

Outra forma de ser atraído pela capacidade de transformar seu conhecimento em atitudes mensuráveis é o belo exemplo dado com a criação de uma “startup” que são modelos de negócios criadas com o objetivo de gerar valor para os clientes. Exemplos como: Uber, Airbnb e Wework que valem juntas mais de 110 bilhões de dólares.

Portanto, ser competente faz parte de um processo contínuo de desenvolvimento de capacidades que são testadas a todo o momento pelos desafios apresentados pelo mundo dos negócios e pela vida, que divide os mais capacitados dos menos capacitados, a questão agora é saber qual lugar você quer ocupar.

Por William Moura de Oliveira.

Ana Bondioli

Por: Ana Bondioli

Publicado em: 2 de maio de 2018

Categorias: Gestão, Inovação, Institucional, Mês do Trabalho
Tags: , , .