'Paixão' e 'senso de comunidade': outros dois ingrediente que garantem o sucesso da educação na Finlândia

Durante nossa jornada fomos visitar duas novas empresas para conhecer um pouco dos resultados da educação empreendedora da Proakatemia - Finlândia.

A primeira delas foi a Kopla Games, empresa de jogos de aventura criada em 2015 por Mika Kuusisto, um jovem empreendedor formado na Proakatemia em 2013. A Kopla foi a responsável pela criação do famoso jogo de aventura Nonstop Knight, lançado em julho de 2016. Nesse mesmo ano a Kopla ganhou o prêmio de melhor empresa de jogos da Finlândia. Uau! Que começo hein ...

Em visita, Mika nos contou que a Kopla nasceu, literalmente, numa garagem e lá ficou por, aproximadamente, um ano. Nessa época, fechou um contrato de marketing na Alemanha, juntou 800 mil euros de financiamento e mudou da garagem para a sede atual. Atualmente, a Kopla possui 11 empregados que “trabalham com paixão” (palavras de Mikka). Sua receita girou em torno de 10 milhões de euros nesse uma ano e meio.

Mika explicou que “embora os projetos da Proakatemia sejam para empresa tradicionais, não de games, na Proakatemia, aprendi a ler e usar os conceitos em meu próprio negócio [...] Na experiência escolar anterior eu precisava memorizar para fazer provas. Como na Proakatemia não há provas eu precisava ler e aprender para a minha vida, para o meu negócio”. Acrescentou, ainda, que “o papel de proakatemia é dar liberdade acoplada com responsabilidade. Alunos tem liberdade de criar e assim, acredito, os talentos são atraídos. Na nossa indústria que exige criatividade é muito importante dar liberdade para que as pessoas mostrem seus talentos”.

Fica evidente a importância da leitura e estudo individual promovido pela Proakatemia. Não é à toa que a leitura é responsável por 24% das atividades que compõem seu currículo.  “Ler é uma competência para a vida”, afirmou Mika.

A segunda visita foi na Tribe Tampere. Criada em 2016, a Tribe consiste de uma comunidade aberta, formada por pessoas e organizações com mentalidade empreendedora, que apoiam o empreendedorismo e, sobretudo, acreditam no trabalho cooperativo.

Na Tribe, diferentes pessoas e organizações contribuem umas com as outras e a Proakatemia faz parte dessa comunidade. Todas elas possuem seus próprios negócios e realizam suas próprias atividades, mas acreditam no valor da colaboração.  Por isso, o espaço que visitamos funciona como um hub, um pólo para se encontrarem e não como um espaço de co-working. O espaço é mantido por voluntários. Os que compõem o Conselho Administrativo não são remunerados, mas possuem uma cadeira na Tribe. Quem paga pelo espaço é a cidade de Tampere. Trata-se de um espaço aberto para todos que são da comunidade.

A jovem representante que nos recebeu afirmou que “a Tribe tem muitos planos para o futuro e isso só será possível com organizações apaixonadas pelo que fazem e que juntas pensam no futuro de suas cidades. Na Tribe, escolhemos colaboração acima da competição”. Acrescenta, que “há envolvimento de estudantes com os caras de start-ups e entre os caras de start-ups. Estudantes não tem experiência, mas possuem tempo e potencial inovador”.

Por: Simone Vianna

Publicado em: 18 de novembro de 2017

Categorias: Aprendizagem Ativa, Inovação
Tags: , , .