Tecnologia da informação longe da crise

Apesar da crise existente no país, a área de Tecnologia da Informação se mantém sólida criando oportunidades de empregos e negócios. Existem 195 mil vagas no Brasil onde faltam Analistas, programadores e cientistas de dados. Os motivos dessas demandas se dão porque, em tempos de crises, a área é vista pelas empresas como aliada para manter a produtividade e rentabilidade, tanto para ampliar os negócios como para reduzir custos.

Quando a empresa vai bem e o faturamento é rentável, os gestores deixam de lado a eficiência. Quando a crise bate na porta, a busca de eficiência acaba sendo um dos fatores principais para as empresas se manterem no negócio, e é neste momento que o investimento é direcionado para a Tecnologia de Informação, buscando reduzir custos e ganhos reais.

O Vice Presidente  de Tecnologia e Telecom do Gartner (maior instituto de pesquisa de tecnologia na área de TI), Arnaldo Aimola, apresentou índices interessantes para 2017/2018, tendo uma projeção de 36% no segmento de Cloud.

Portanto, existem demandas, porém o fator problema para entrar na área é a falta de conhecimentos específicos para sanar esta demanda. Daí a importância de  investir em conhecimentos, como uma boa graduação, uma pós-graduação e claro, certificações de empresas que dominam as tecnologias.

Manter-se atualizado é crucial para que o profissional se mantenha no mercado onde está se direcionando em  uma forte procura por especialistas em big data, nuvem, arquitetura de segurança adaptável, inteligência artificial e machine learning.

Para 2018, a previsão é que a empregabilidade do profissional de tecnologia da informação se mantenha numa curva de ascensão, embora o cenário político ainda sofra com incertezas, o novo direcionamento econômico atrai investidores que agrada o mercado tecnologia da informação.

 

Prof. Ricardo Magalhães

Por: Caique Oliveira

Publicado em: 24 de agosto de 2017

Categorias: Colégio, Faculdade, Técnico, Tecnologia da Informação, TI
Tags: , , , , , , .