Oficina de Origami – Uma técnica e negócios lucrativos.

Encerramento com aprendizado e lucro

Como estamos em época de encerramento de atividades cabe mostrar a exposição que houve no final de novembro de trabalhos dos alunos que participaram da Oficina de Origami. Liderada pela Professora Paula Freidenson a oficina compunha o Programa Jovens Empreendedores Primeiros Passo, em parceria com o SEBRAE, iniciativa da Assessoria de Inovação Pedagógica. 

Neste último semestre de 2017 a Professora Paula ministrou para alunos do 6º e 7º anos em torno de 10 (dez) sessões para orientá-los na tradicional e milenar técnica japonesa de dobradura de papel. Além de promover o aprendizado por meio da chamada “mãos na massa” esta atividade colabora para desenvolver a disciplina e concentração dos alunos.

A primeira caixa é sempre amassada e feia, mas ela mostra que a pessoa conseguiu decifrar o processo. O grande desafio mesmo é que eles persistam após a primeira peça e com isso aprendam a característica número UM do empreendedor: persistência, confiar na própria capacidade de desenvolvimento” complementa a Professora Paula.

Dentre as várias dobraduras aprendidas – caixinhas com tampa, ‘tsurus’ (pássaros da família das cegonhas, típicos da cultura nipônica) – as crianças dedicaram-se, sobretudo, à confecção de uma peça que além de ser um objeto decorativo servia, também, para ser utilizada  como ‘luminária’.

A Oficina de Origami levou as crianças a produzirem várias peças e num sábado de manhã (25/11) “foram à feira” para mostrar e vender sua produção. Organizadas em equipes, expuseram e comercializaram as mais diversas peças multicoloridas que formavam um belo visual. As variações entre os grupos ficaram por conta do empenho pessoal, seja pela quantidade da produção ou mesmo pelas iniciativas para realizar as vendas. A Professora Paula ressaltou que, do valor que investiram ao arrecadado com as vendas realizadas, as equipes tiveram um lucro bastante significativo!!

Um grande aprendizado para os alunos, desde o conteúdo até os processos vivenciados: a arte milenar japonesa, concentração, trabalho em equipe, elaboração de preços, contato com os ‘clientes,’ e muito mais…

 

Parabéns a todos envolvidos na experiência de

Jovens Empreendedores do Eniac!!!

 

Por: Miriam Barcellos

Publicado em: 19 de dezembro de 2017

Categorias: Colégio, Educação Infantil, Faculdade, Inovação
Tags: , , .