O segundo dia do Festival SXSW começou com uma palestra do brilhante Prof. Michael Sorrell, presidente da Paul Quinn College, Texas, uma instituição de ensino historicamente negra. Michael descreveu toda a sua trajetória, desde o início, ao assumir, sem qualquer experiência em gestão educacional, a presidência de uma Faculdade praticamente falida, até sua transformação em uma “working college”, onde o trabalho de seus alunos viraram parte do próprio currículo, um exemplo de superação e sucesso. Michael acredita e se empenha em uma missão: acabar com a pobreza e hoje apresenta seu case de sucesso. Bastante inspirador!

Na segunda sessão a Universidade Elon apresentou uma grande inovação: um semestre totalmente dedicado a inovação social. Para construir a grade curricular, os quatro professores responsáveis pelas disciplinas do módulo reuniram-se para oferecer seus cursos juntos, de maneira interdisciplinar e multidisciplinar, e a inovação não parou por aí. Propiciaram práticas de alto impacto, colocando os alunos no papel central da aprendizagem, os verdadeiros responsáveis por detectar problemas e encontrar as soluções, protagonizando assim seu aprendizado, com responsabilidade social.

Um dos projetos desenvolvidos ao longo do semestre da inovação social foi a criação e manutenção de uma horta comunitária, que continua fornecendo alimentos, mesmo após o final do semestre. Novamente, algo muito parecido ao que já praticamos aqui no Centro Universitário ENIAC.

Como resultado de toda essa inovação no semestre, os estudantes refletem sobre a importância que essa experiência tem em seus futuros profissionais, além do grande impacto social, propiciado pela parceria estabelecida com a comunidade.

Pedro destacou, no depoimento de uma das alunas participantes deste projeto, o aprendizado que se deu através das falhas e como esta aluna e seus colegas aprenderam a lidar com frustrações e assim construir as bases sólidas do verdadeiro conhecimento, que se faz face ao contínuo ciclo de tentativa e erro. No próximo semestre, a pedido dos alunos, o curso será oferecido com estágios nos parceiros da comunidade.

Outra sessão em que nosso missionário participou, tratou de um tema que muito nos interessa: a empregabilidade!!! Essa palestra mostrou como as escolas participantes realizam a ponte entre as empresas e seus alunos e o palestrante começou destacando a importância de estimular e auxiliar os alunos de Ensino Médio a fazerem seus currículos no Linkedin. Em uma das escolas apresentadas, o colégio católico Cristo Rey, quatro alunos ganham o equivalente ao salário de um funcionário, realizando para isso, todas as funções deste. Todo o salário vai diretamente para pagar a própria escola. Uma das empresas faz isso através de seus relacionamentos com o mercado de trabalho local e trabalham com escolas de baixa renda, onde muitas vezes os alunos não têm experiência de vida com pessoas que trabalham em TI e escritórios, e assim, aprendem para suas futuras carreiras profissionais além de enriquecer seus currículos, o que aumenta a chance desses estudantes alcançarem uma posição no mercado de trabalho, assim que terminam sua formação escolar.

Nosso missionário nos conta que um dos pontos altos desse segundo dia foi assistir a uma palestra sobre empregabilidade, proferida por uma aluna de 17 anos. Além da maturidade e desinibição de falar para um público tão seleto, o que mais chamou a atenção de Pedro foi a reflexão que esta aluna fez sobre a oportunidade de falhar, aprender, tentar de novo, e obter sucesso. O que ela definiu como “failing forward” ou “cair pra frente” (Já que é pra cair, que caia para a frente!). Essa aceitação do fracasso como parte do aprendizado, parece ser algo a mais que a educação empreendedora proporciona aos jovens. Uma maneira diferente e inteiramente nova de enxergar o fracasso de maneira positiva, como um obstáculo, que uma vez superado, transformará o aluno.

Todas essas experiências nos fazem refletir que há ainda muito para se fazer, em termos de inovação na educação, mas também nos encoraja a continuar, e aos moldes desses exemplos, tropeçando nos nossos erros e aprendendo com eles, crescendo sempre e seguindo em frente.

Ana Bondioli

Por: Ana Bondioli

Publicado em: 7 de março de 2018

Categorias: Aprendizagem Ativa
Tags: , , .