Você quer um diploma de nível universitário, mas ao mesmo tempo quer uma formação mais prática, que te garanta uma vaga no mercado de trabalho logo no começo da carreira? Se este é o seu caso, uma graduação tecnológica pode ser a opção ideal para você entrar na faculdade.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), uma graduação tecnológica é um curso de graduação plena como qualquer outro curso de licenciatura ou bacharelado. Também conhecidos como cursos superiores de tecnologia ou tecnólogos, seus diplomas têm validade nacional.

Fizemos uma lista para esclarecer para você todos os mitos e verdades sobre esta modalidade de ensino superior.

1. Afinal, como é uma graduação tecnológica?

Assim como em todo curso de nível superior, o estudante precisa ter concluído o Ensino Médio e ser aprovado num processo seletivo de entrada. A graduação tecnológica pode ser presencial ou a distância e terá aulas voltadas para a prática profissional.

Existem mais de 110 cursos superiores de tecnologia no catálogo do MEC, organizados em 13 diferentes eixos:

  • Ambiente e saúde
  • Apoio escolar
  • Controle e processos industriais
  • Gestão e negócios
  • Hospitalidade e lazer
  • Informação e comunicação
  • Infraestrutura
  • Militar
  • Produção alimentícia
  • Produção cultural e design
  • Produção industrial
  • Recursos naturais
  • Segurança.

2. Curso superior de tecnologia e curso técnico são a mesma coisa

Mentira! A principal diferença entre o curso técnico e o curso de tecnólogo é o nível de escolaridade. Enquanto um curso técnico é uma formação de nível médio, o curso de tecnólogo é uma graduação de nível superior.

A duração destas modalidades também costuma ser diversa. Para técnicos, de 3 meses a dois anos. Já para a graduação tecnológica, entre dois e três anos. Outra diferença importante é na formação final do aluno: cursos superiores de tecnologia preparam também para atuar como gestor e não apenas na parte operacional.

graduação-tecnológica

3. Graduação tecnológica vale menos que um bacharelado

Este é um grande mito! Ambos têm peso de nível superior e servem caso o aluno queira fazer uma pós-graduação em seguida. Como já explicamos, o tecnólogo dura menos que um bacharelado ou licenciatura tradicionais.

Outra diferença é a conexão com o exercer a profissão: a graduação tecnológica é mais específica e prática que uma tradicional, que visa aspectos conceituais, teóricos e até de pesquisa acadêmica.

4. Todo curso superior de tecnologia é de curtíssima duração

Neste caso, serve a Teoria da Relatividade. Isso porque se comparado com uma graduação de cinco anos, uma graduação tecnológica que dura 2 anos, é curta.  Já em paralelo com um curso técnico de três meses, uma graduação tecnológica pode parecer longa.

5. Você vai achar emprego fácil depois de fazer uma graduação tecnológica

A tendência é que sim!  Isso porque uma graduação tecnológica prepara para tarefas práticas, para o exercício rotineiro da profissão e também para cargos de gerência. Sempre bom reforçar: achar emprego depende muito mais do seu esforço em procurar, ter um currículo bem feito e atualizado e, claro, ter uma boa rede de contatos.

6. Optar por uma graduação tecnológica é uma boa escolha se você…

  • Já sabe o que deseja fazer depois de formado.
  • Quer concluir o nível superior mais rapidamente e se inserir no mercado
  • Quer economizar, pois como o curso é mais curto, significa que são menos mensalidades.

Agora que os mitos sobre a graduação tecnológica caíram por terra, que tal conferir algumas opções nessa área? Confira e entre em contato quando quiser!